Fins de tarde em Bayanzag

PT: Finais de tarde em Bayanzag O dia é feito de muitos quilómetros até chegarmos aqui. Saímos de Tsaagan Suvarga pela manhã, deixando para trás a família da Tegi que tem como actividade a criação de camelos. Temos umas 2 horas de todo terreno até chegarmos a Dalanzagdad, das cidades mais importantes da região do Gobi, região conhecida por se terem encontrado diversos esqueletos de dinossauros na área. Aqui recorremos a um balneário público para irmos ao desejado banho, pois na dinâmica viagem não havendo condições de no meio do deserto e da estepe de tomarmos banho diariamente, esta é a melhor das soluções. Almoça-se num coreano-mongol, e seguimos até ao Vale dos Dinossauros, após mais u

Miora de Manandona

PT: Miora de Manandona Falar de Madagáscar é falar de pessoas. Uma grande maioria dessas pessoas vive em função da agricultura, sobretudo da cultura do arroz. Os malgaxes serão per capita o povo que mais come arroz no mundo, havendo zonas que existem 2 a 3 colheitas por ano, ainda assim não são auto-suficientes. É comum comer-se arroz de manhã, ao almoço e ao jantar, às vezes não havendo muito mais. Manandona é uma comunidade rural situada no planalto malgaxe que existe no entorno do rio Manandona, e no vale fértil que é criado pelo respectivo rio. Ali em volta existem mais 11 aldeias, que se articulam e vivem num espírito comunitário grande. Há uma boa atmosfera aqui neste sítio, no meio

Abantomisay, a aldeia perdida do embondeiro

PT: Abantomisay, a aldeia perdida do embondeiro Esta aldeia é tão pequena e insignificante que não aparece no mapa, e como me foi comunicada sempre oralmente nem saberei com total certeza se será assim que se escreve. Quando digo pequena não terá mais que 30 palhotas, se tanto. Como se chega aqui? Descendo de barco durante dois dias o rio Tsiribihina em Madagáscar. Sabemos que chegámos pelo embondeiro espetado ali ao lado do cais de embarque que com o nível das águas durante a época navegável, serve para pouco mais que ir lavar a roupa. Aqui o calor abunda, os bancos de areia abundam cada vez, as crianças seguem o mesmo padrão. Esta é mais uma daquelas aldeias longe de tudo e de todos e

A miúda de Ta Prohm

PT: A miúda de Ta Prohm Numa incursão à Indochina, a passagem pelo Cambodja e o complexo de templos de Angkor Wat nas proximidades de Siem Reap é incontornável . Chegando a Bangkok, apanhar um voo barato para o Cambodja é tarefa simples. Chegando a Siem Reap, encontrar um bom condutor de tuk tuk para andar contigo uns dias pode ser alternativa assim como podes alugar bicicleta para explorares a zona. Do que mais me lembro destes dias para além do conjunto impressionante de templos era o calor e que a dada altura numa das paragens dos trajectos de tuk tuk uma rapariga local se vira para mim e pergunta se eu não tinha frio por estar de calções e t-shirt. Ela estava toda encasacada e ao qu

Salama

PT: Salama Apelidei de Begidro o reino do tabaco num texto anterior. Esta é a aldeia onde habitam, no meio do nada, mais de 1000 habitantes dependentes de um rio, o Tsiribihina. Ali, distante das estradas de asfalto e de bons acessos, a vida fervilha da margem do rio ao centro da aldeia onde se encontra o mercado, há palhotas e casas rudimentares um pouco por todo lado, assim como pequenos negócios familiares, pequenas mercearias, e pequenas gargotes malgaxes (tasquinhas locais).As crianças, mal te vêem a descer do barco, dão-te a mão e arranjas um amigo. Dali a nada não é só um, são muitos miúdos que te vêm conhecer e a querer brincar contigo. Infelizmente a escola não tem capacidade nem

They wait for you

PT: Esperam por ti No post anterior do blog falei da linha de comboio FCE de Madagáscar. A história desta imagem remonta a uma das viagens nessa ferrovia. O comboio partiu à hora, como quem diz 7:00 ou 7:30 da manhã. Estes horários nunca são garantidos, começar bem uma vez que estamos a falar de uma linha de comboio terminada em 1936, e que de manutenção tem muito pouco. Algumas das carruagens velhas ainda reportam no seu interior a estações de comboio, se não estou em erro da Suíça, onde se podem ver também fotografias dos Alpes. Por momentos caímos na ilusão de fazer uma viagem no tempo e noutro continente. Mas olhando para as pessoas em volta caímos na realidade de um país que como mui

Niri, Attitudes that changed two lives

PT: Niri, Atitudes que mudaram duas vidas Em setembro de 2015 percorri pela primeira vez em cerca de 12 horas os 163 kms da ferrovia Fianarantsoa-Côte Est (FCE), uma ferrovia construída no sudeste de Madagáscar, que conecta a cidade de Fianarantsoa, no planalto, à cidade portuária de Manakara construída a mando dos franceses, colonizadores na altura entre 1926 e 1936, usando o programa de trabalhos forçados SMOTIG. Esta linha atravessa alguns dos habitats mais ameaçados do mundo. A manutenção do funcionamento desta linha é um dos garantes para a manutenção possível dos núcleos de floresta tropical que existem na zona sudeste da ilha, garantindo com a linha a chegada de produtos para alimenta

Highlight Post | Post em destaque

Recent Posts | Posts Recentes
Archive | Arquivo

Clicking on "Sign now" means that you are accepting our Privacy Policy and Use Terms.

© 2018 by Bernardo Conde.

  • Instagram Bernardo Conde
  • Facebook Instagram
  • Pinterest Bernardo Conde